Conteúdos

ARTIGO |

Hemodiálise: entenda o tratamento e para quem é indicado

1 mês atrás
hemodiálise
Hemodiálise: entenda o tratamento e para quem é indicado

    Assine a nossa newsletter

    e tenha acesso aos nossos materiais educativos diretamente na sua caixa de e-mail. Basta preencher os campos abaixo:

    A hemodiálise é um tratamento indicado para pacientes que sofrem de doenças renais, o que faz com que o corpo não consiga filtrar o sangue do jeito que deveria, deixando-o com impurezas que fazem mal para a saúde.

    Dessa forma, essa terapia consiste no uso de uma máquina que faz a remoção do sangue, sua limpeza e retorna-o para o corpo, substituindo a função do rim. Apesar de não ser um tratamento de alto risco, para a sua realização é necessário que o paciente vá até uma unidade de saúde.

    Quer saber mais sobre hemodiálise? Então continue lendo o nosso artigo e tire todas as suas dúvidas sobre esse tratamento.

    O que é a hemodiálise?

    Já comentamos que a hemodiálise é um tratamento que substitui a função dos rins, mas, para a entender mais profundamente, é essencial compreender a função desse órgão no corpo humano.

    O sangue é um tecido especial formado por diversas células e que percorre o corpo inteiro, desde a cabeça até os pés, por isso, ele é utilizado para fazer o transporte de substâncias, tanto as que são essenciais para a vida, como o oxigênio, quanto as que fazem mal excessivamente, como é o caso do:

    • sódio: pode causar sede, confusão, espasmos musculares e convulsões;

    • potássio: pode causar cansaço, desmaios e arritmias cardíacas;

    • ureia: pode causar náuseas, vômitos, tosse, batimentos irregulares, dificuldade para respirar e coma;

    • creatinina: pode causar confusão mental, inchaço nas pernas e braços, sensação de falta de ar e cansaço.

    O rim age para eliminar todas essas impurezas do sangue, deixando elas na urina para serem retiradas do corpo. Quando esse órgão não funciona como deveria, a filtragem não é tão eficaz, o que pode causar todos os sintomas citados acima, sobrecarregando o organismo.

    A hemodiálise, então, é um tratamento para quem tem doenças renais graves, tanto de forma aguda quanto de forma crônica.

    Quando a hemodiálise é indicada?

    Nem todo paciente com problema renal precisa fazer a hemodiálise. Para definir se esse tratamento é realmente necessário, o médico especializado no rim, chamado nefrologista, irá pedir uma bateria de exames para analisar a quantidade das substâncias citadas acima no sangue e a quantia de urina produzida em um dia.

    Em alguns casos, recomenda-se o uso de medicamentos para ver se há a estabilização da patologia. Caso não, recomenda-se a filtração do sangue.

    Como é esse tratamento?

    Para que ocorra a filtragem do sangue, é colocado um pequeno acesso em um dos vasos sanguíneos. Com a ajuda de uma bomba, retira-se uma parte do sangue do corpo e passa por uma máquina, chamada dialisador, que conta com uma solução que retira as impurezas e devolve o sangue para o paciente por outro acesso.

    Esse acesso pode ocorrer de diferentes formas. Nos pacientes que farão hemodiálise de forma pontual ou esporadicamente, por exemplo, há a colocação de um pequeno tubo. Retira-se ele após o tratamento.

    Já para quem precisa fazer com frequência há duas opções:

    • cateter de hemodiálise: colocação de um acesso em uma veia da virilha, do pescoço ou tórax, para isso, utiliza-se anestesia local.

    • fístula arteriovenosa: acesso que exige uma pequena cirurgia para unir uma artéria com uma veia, tornando o vaso sanguíneo mais resistente para as punções.

    Vale ressaltar que, normalmente, o cateter de hemodiálise é uma solução temporária, até realizar-se a fístula arteriovenosa.

    Quanto tempo a hemodiálise dura?

    O tempo exato da diálise dependerá diretamente do estado do paciente e da sua doença, mas, conforme a Sociedade Brasileira de Nefrologia, em geral, as sessões duram até quatro horas e devem ser feitas de três a quatro vezes por semana.

    Há casos em que o paciente precisa fazer diariamente. Apenas um nefrologista poderá definir corretamente o número de sessões por semana e o tempo previsto para cada uma de acordo com o estado de saúde de cada paciente.

    A hemodiálise dói?

    Uma das perguntas mais comuns entre os pacientes que precisam realizar a hemodiálise é se esse procedimento dói ou traz algum incômodo. A resposta dessa pergunta depende de muitas fatores. Um exemplo é o tipo de acesso, a saúde do paciente e a quantidade para retirar de líquido do corpo na sessão.

    Geralmente, quando esse processo é feito por meio da fístula arteriovenosa, o único desconforto que o paciente sente é o furo da agulha para a criação do acesso, mas é leve e momentâneo.

    No entanto, veja o que pode acontecer quando há muito sangue para remover

    • queda da pressão arterial;

    • dores de cabeça e

    • câimbras.

    É importante ressaltar que, apesar de a hemodiálise fazer a filtragem do sangue, o paciente precisa ter cuidados pré e pós-procedimento. É necessário cuidar da alimentação, evitar o ganho de peso e ter uma vida saudável. Apenas dessa forma será possível ter um sangue limpo e não sentir os sintomas que são comuns entre os pacientes com doenças renais.

    Se você gostou desse conteúdo e deseja saber mais sobre a saúde dos seus rins, não deixe de nos seguir no Facebook e no Instagram.

    A Clinirim – Clínica do Rim e Hipertensão Arterial é uma instituição de saúde localizada em Florianópolis (SC) que tem como principal objetivo oferecer bem-estar e qualidade de vida para pacientes portadores de doenças renais crônicas.