Conteúdos

4 coisas que você precisa saber sobre diálise peritoneal automática

4 meses atrás
4 coisas que você precisa saber sobre diálise peritoneal automática
4 coisas que você precisa saber sobre diálise peritoneal automática

    Assine a nossa newsletter

    e tenha acesso aos nossos materiais educativos diretamente na sua caixa de e-mail. Basta preencher os campos abaixo:

    A diálise peritoneal automática em Florianópolis é uma opção para quem sofre de insuficiência renal e precisa substituir a filtragem do sangue artificialmente, seja temporária ou permanentemente.

    Esse método traz mais facilidade para o paciente e permite que ele tenha uma rotina normal, sem precisar mudar o horário ou a forma de trabalho para realizar o seu tratamento. Apesar disso, ainda é desconhecida e levanta muitas dúvidas entre os portadores de problema renal, que tendem a conhecer apenas a hemodiálise.

    Continue lendo para saber mais sobre a diálise peritoneal automática e conferir 4 coisas que todos precisam saber antes de escolher ou realizar a primeira sessão deste tratamento.

    O que é diálise peritoneal automatizada?

    A diálise peritoneal automatizada é uma forma de substituir artificialmente a função de filtragem do sangue. Ela é indicada para pacientes que estão ou têm insuficiência renal nos graus mais graves, ou seja, quando a taxa de filtragem está abaixo de 20 mL/min/1,73 m², o que caracteriza o estágio 4 ou 5 da doença.

    Para entender mais sobre esse método, primeiro deve-se compreender o que não é automatizado. Nesses casos, a filtragem ocorre no corpo do paciente. Para isso, é feito um acesso com um tubo flexível que fica no abdome de forma permanente.

    A partir desse instrumento é inserido o líquido de diálise, chamado dialisato, que ficará na cavidade peritoneal, espaço do corpo que está em contato com os principais órgãos abdominais.

    O líquido, então, entra em contato com o sangue e consegue retirar as substâncias acumuladas, como:

    • ureia;

    • potássio e

    • creatinina.

    Após um período, é feita a drenagem do dialisato, que deve ser descartado corretamente. Todos os processos acima, a colocação do líquido e a sua remoção, são feitos manualmente, isso significa que o próprio paciente, um familiar ou um profissional de saúde o realizam.

    Esse método é chamado diálise peritoneal ambulatorial contínua e os processos devem ser feitos até 4 vezes por dia.

    Já no caso da diálise peritoneal automática, utiliza-se uma pequena máquina que faz as trocas do líquido. Esse tratamento é feito diariamente, normalmente à noite, na própria casa do paciente. Para isso, basta fazer a conexão do acesso ao equipamento e dormir. Ao acordar, desconecte e pronto.

    Se for necessário, é possível realizar uma sessão manual durante o dia.

    Qual a diferença entre diálise peritoneal contínua e diálise peritoneal automatizada?

    Como já falado, a principal diferença entre a diálise peritoneal automática e a contínua é a forma que o tratamento ocorre. No primeiro caso, os processos são realizados por uma máquina de forma automática e no segundo a troca e a remoção do líquido é feita manualmente.

    Tirando essa diferença, todo o resto é igual, incluindo o líquido utilizado, a realização do acesso no abdome e os resultados da filtragem do sangue.

    Quais as vantagens da diálise peritoneal automática?

    A diálise peritoneal automática traz diversos benefícios para os pacientes. O principal está relacionado com o controle da insuficiência renal, que nos graus mais graves traz diversos sintomas, como cansaço, alterações nos hábitos urinários, náusea e vômitos, coceira e inchaço.

    Mas, além disso, esse método ainda traz outros benefícios, como:

    • mais liberdade para o paciente;

    • redução do desconforto durante a terapia, o que pode ocorrer na hemodiálise;

    • baixos riscos de infecção.

    Também há a diminuição em 39% nas internações entre os pacientes que realizam diálise peritoneal em casa.

    Em quais ambientes pode ser realizada a diálise peritoneal automática?

    Esse tratamento é, normalmente, realizado na própria casa do usuário, uma vez que a maioria das pessoas faz esse método de diálise durante a noite. Mas ele também pode ser feito em clínicas especializadas em doenças renais em horários alternativos.

    Muitas vezes, opta-se por realizar as primeiras sessões em ambientes hospitalares para que o paciente possa se acostumar com o processo e tenha ajuda se precisar. Para executar o procedimento em casa, é preciso passar por um pequeno curso que ensinará a fazer a ligação entre os acessos e a higienização para evitar infecções. Durante esse período, também deve-se optar pela diálise em um local de qualidade para evitar complicações.

    Após a devida adaptação, normalmente os familiares e os portadores de doença renal optam por fazer essa terapia nos seus lares, mas isso não é uma regra. Se a pessoa sentir alguma melhora em realizar todo o procedimento com o acompanhamento profissional, não há problema nenhum. A escolha é totalmente do paciente que deve sempre focar na sua saúde e em criar uma rotina em que se sinta seguro.

    Se você está procurando por um local que faça diálise peritoneal automática em Florianópolis, conte conosco. Somos uma clínica especializada em doenças renais e temos um ambiente confortável para a realização dos tratamentos.

    Cada paciente tem direito a um quarto individual com espaço para acompanhante. Entre em contato para agendar uma consulta conosco e traga mais tranquilidade para o seu dia a dia.