Conteúdos

Como prevenir cálculos renais?

10 horas atrás
Como prevenir cálculos renais?
Como prevenir cálculos renais?

    Assine a nossa newsletter

    e tenha acesso aos nossos materiais educativos diretamente na sua caixa de e-mail. Basta preencher os campos abaixo:

    A melhor forma de prevenir cálculos renais (mais conhecidos como pedras nos rins) é beber bastante água — no mínimo, oito copos por dia. A litíase renal, como também é chamado o problema, ocorre devido à cristalização de componentes presentes na urina, os quais não foram adequadamente eliminados pelos rins.

    Neste artigo, falamos mais a respeito. Continue a leitura e conheça suas principais causas, bem como o que mais pode ser feito para preveni-los. Boa leitura!

    O que são cálculos renais?

    Cálculos renais são formações endurecidas, que surgem nos rins ou nos ureteres (canais que levam a urina para a bexiga). Eles são compostos pelo acúmulo de substâncias não corretamente eliminadas pelo organismo, tais como:

    • cálcio (existente no leite e em seus derivados);
    • cistina (presente nas carnes, ovos, produtos lácteos, vegetais, grãos e cereais);
    • ácido fosfórico (utilizado no preparo de bebidas à base de cola);
    • oxalato (encontrado no café e em chás escuros).

    Quais são os sintomas da litíase renal?

    Em alguns casos, os “cristais” formados podem ser assintomáticos ou causar pouca dor. Porém, na maioria das vezes, provocam dor intensa, a qual começa na região da lombar e se irradia para o abdome, em direção à virilha. Ela se manifesta em cólicas, ou seja, alternando-se entre picos de dor e de “alívio”.

    Outros sintomas comuns são náuseas e vômitos. Além disso, podem ocorrer sinais no trato urinário, tais como:

    • urina amarelada ou alaranjada;
    • presença de sangue na urina (hematúria);
    • diminuição ou interrupção do fluxo urinário;
    • infecção urinária recorrente;
    • necessidade de urinar frequentemente.

    Quais são as causas das pedras nos rins?

    As principais causas das pedras nos rins são a predisposição genética e a ingestão insuficiente de água. A última, é importante esclarecer, faz com que a urina fique supersaturada de sais minerais. Mas, além desses fatores, há outros relacionados. São eles:

    • sedentarismo;
    • resistência à insulina;
    • obesidade;
    • excesso de sal e de proteínas na alimentação;
    • alterações anatômicas;
    • obstrução das vias urinárias;
    • imobilização prolongada;
    • hiperparatireoidismo (transtorno hormonal que prejudica o metabolismo do cálcio);
    • doenças intestinais inflamatórias (como a Doença de Crohn, por exemplo).

    Como prevenir cálculos renais?

    Para prevenir cálculos renais, recomenda-se fazer os exames de rotina (urológicos ou ginecológicos) e mudar alguns hábitos de vida.

    Em relação ao último, é preciso aumentar a ingestão de água e de sucos cítricos naturais — de preferência, de limão. Deve-se, também, reduzir a adição de sal nos preparos culinários e ingerir proteínas de origem animal com moderação.

    Ao mesmo tempo, recomenda-se praticar atividades físicas regularmente. Outra medida muito importante é a eliminação do sobrepeso e a manutenção do peso ideal.

    Por último, não custa reforçar: nada de se automedicar! Isso vale, inclusive, para o uso de vitaminas. Por exemplo: a vitamina D, se ingerida indiscriminadamente, eleva os níveis de cálcio no organismo.

    O que fazer em caso de sintomas suspeitos?

    Em caso de sintomas suspeitos, como dor lombar associada à hematúria, procure um:

    Se perceber que eliminou uma pedra, tente recolhê-la (em um filtro de café),para posterior análise em laboratório. Isso é muito importante, pois o resultado sobre a sua composição colabora para a definição do tratamento.

    Já em caso de cólica renal (dor intensa, beirando o insuportável), procure atendimento médico. O tratamento costuma ser feito com medicamentos, indicados tanto para o controle da dor, como para facilitar a expulsão do cálculo.

    No entanto, caso ele tenha mais de 10 mm de diâmetro e não seja expulso espontaneamente, é preciso retirá-lo. Para isso, o médico pode indicar:

    • litotripsia (bombardeamento da pedra por ondas de choques, com o objetivo de fragmentá-la),para facilitar a eliminação;
    • ureteroscopia (procedimento cirúrgico feito após a litotripsia),para remover os fragmentos do cálculo deixados nos rins ou nos ureteres.

    Se o cálculo não for retirado, natural ou cirurgicamente, os cristais podem obstruir o fluxo urinário. Com o decorrer do tempo isso provoca, além das dores terríveis, à redução da função renal, com risco de perda permanente.

    Já se o cálculo tiver menos que 10 mm, a remoção ativa é contraindicada. Nesses casos, recomenda-se o seu acompanhamento, por meio de visitas periódicas ao especialista, e o tratamento com medicação.

    Agora que você sabe como prevenir cálculos renais, siga as orientações e, em caso de sintomas sugestivos para pedras nos rins, procure um nefrologista. O especialista irá traçar o diagnóstico do problema e, a partir dele, indicar o melhor tratamento para suas necessidades!

    Ficou com alguma dúvida? Entre em contato para que possamos ajudar!

    Quer continuar aprofundando seus conhecimentos sobre cuidados com os rins? Nesse caso, siga a Clinirim no Facebook e Instagram!