Conteúdos

O que a cor da urina pode dizer sobre a saúde do rim?

2 semanas atrás
O que a cor da urina pode dizer sobre a saúde do rim?
O que a cor da urina pode dizer sobre a saúde do rim?

    Assine a nossa newsletter

    e tenha acesso aos nossos materiais educativos diretamente na sua caixa de e-mail. Basta preencher os campos abaixo:

    Você sabia que observar a cor da urina é uma forma de cuidar do rim e, consequentemente, de todo o organismo? Isso porque, ela pode dar sinais de que o funcionamento do órgão não está adequado. Sendo assim, vamos combinar: da próxima vez que for ao banheiro, repare nela antes de dar descarga.

    Neste artigo, mostramos como uma medida simples como essa pode ajudar a diagnosticar alterações e prevenir o agravamento de doenças renais. Veja, também, o que diferentes colorações podem significar. Boa leitura!

    Qual é o papel da urina no organismo?

    Para funcionar, o organismo produz resíduos. Esses caem na corrente sanguínea e precisam ser retirados pelos órgãos de eliminação (intestinos, pele, pulmões e, logicamente, rins).

    Nesse contexto, a urina tem o papel de eliminar toxinas. Portanto, é normal que contenha elementos como sódio, potássio, entre outros em excesso.

    Por outro lado, a existência de certos elementos pode indicar problemas renais e no sistema urinário. É o caso da presença de sangue (hematúria),proteínas (proteinúria),níveis alterados de glicose, minerais, outras substâncias.

    O que a cor da urina pode revelar sobre o rim?

    aspecto e a cor da urina dão sinais de como está o funcionamento do rim, assim como de todo o organismo. Por isso, se ela não estiver em um tom amarelo-claro, fique atento. A seguir, confira o que as principais mudanças na coloração da urina podem significar.

    Urina transparente

    urina (quase) transparente é sinal de excesso de água. Acredite: mesmo água, em exagero, pode ser prejudicial à saúde. Isso porque, ela sobrecarrega os rins e leva à perda de sais minerais importantes. Além disso, pode atrapalhar o sono, provocar mal-estar e formar edemas (inchaço).

    Urina amarelo-escura

    urina amarelo-escura está normal, mas muito concentrada. Nesse caso, é sinal de que a pessoa está tomando pouca água.

    Urina âmbar

    urina âmbar (ou mel) acende o sinal de alerta para a desidratação. Para reverter o quadro, é preciso beber mais água.

    Urina alaranjada

    urina alaranjada indica desidratação, assim como problemas no fígado e/ou na vesícula. Mas, se o efeito for passageiro, pode ser causado pelo consumo, em excesso, de alimentos com pigmentos laranja.

    Urina rosada ou avermelhada

    urina rosada ou avermelhada pode indicar infecção ou tumor, geralmente, nos rins, fígado ou próstata. No entanto, a ingestão excessiva de proteínas também provoca esse tipo de alteração.

    Urina acastanhada

    urina acastanhada é sintoma de desidratação severa. Além disso, também pode indicar problemas no fígado.

    Urina esverdeada ou azulada

    urina esverdeada ou azulada pode ser resultado de uma infecção bacteriana. Isso, caso a pessoa não tenha ingerido alimentos ou medicamentos com corantes nessas tonalidades.

    Urina preta

    urina preta costuma ter relação com a presença de bile. Por isso, pode estar relacionada à hepatite e a inflamações decorrentes de lesões no fígado.

    Urina com cor alterada e efervescente

    A urina com coloração alterada e efervescente, ou seja, com presença de espuma, costuma ser sintoma de proteínas em excesso. Fora isso, a alteração pode ser provocada por problemas renais.

    Quando é preciso procurar um médico?

    Consultar um nefrologista (médico que cuida dos rins) é importante para fazer um check-up e descartar o risco de complicações. O especialista faz uma anamnese detalhada (exame físico e análise dos sintomas, bem como do histórico pessoal e familiar) e solicita uma série de exames. Os principais são:

    • exames de sangue, para dosar as quantidades de creatinina, ureia e outros marcadores usados para avaliar a função renal;
    • exame de urina tipo I, para verificar a densidade do líquido, o pH e a presença de substâncias como proteínas, nitritos, glicose, pus, sangue, entre outras.

    Caso os resultados indiquem alguma alteração, solicitam-se exames complementares. Por exemplo:

    • exames de imagem, como raio X do abdômen, ultrassonografia do rim, tomografia computadorizada do trato urinário, angiografia renal, urografia intravenosa, uretrocistografia miccional e pielografia;
    • biópsia dos rins, necessária quando os exames de imagem mostram achados sugestivos para tumores.

    Somente quando o diagnóstico estiver definido, inicia-se o tratamento adequado. Agora que você sabe o quanto a cor da urina diz sobre a saúde do rim, crie o hábito de observá-la. E, caso note algo estranho, conte com a equipe da Clinirim!

    Ficou em dúvida sobre algum ponto abordado? Entre em contato para que possamos esclarecê-la. Estamos à disposição!