Conteúdos

Glomerulonefrite: o que é, sintomas e tratamento

2 minutos atrás
Glomerulonefrite: o que é, sintomas e tratamento
Glomerulonefrite: o que é, sintomas e tratamento

    Assine a nossa newsletter

    e tenha acesso aos nossos materiais educativos diretamente na sua caixa de e-mail. Basta preencher os campos abaixo:

    glomerulonefrite é um grupo de doenças que levam à inflamação do glomérulo, parte do rim responsável por filtrar o sangue e formar a urina. Também chamadas de glomerulopatias, elas podem ser agudas ou crônicas, locais ou difusas, tratáveis ou não — nesse caso, levando a problemas renais graves.

    Quer saber mais sobre as doenças glomerulares? Então, continue a leitura!

    Quais são as causas da glomerulonefrite?

    As causas da glomerulonefrite dependem, diretamente, do seu tipo. Assim, a inflamação glomerular pode ser:

    • primária (restrita ao rim, instalada diretamente no glomérulo),a qual é decorrente de problemas imunológicos provocados por vírus ou bactérias, por exemplo, em função de uma infecção na garganta ou na pele por estreptococos (um tipo de bactéria);
    • secundária (quando a inflamação não surge no glomérulo, mas é associada a doenças sistêmicas),sendo relacionada ao diabetes, à hipertensão arterial, ao lúpus eritematoso sistêmico, ao HIV, à hepatite B ou C, entre outras doenças;
    • local, quando a inflamação atinge menos de 50% dos glomérulos;
    • difusa, quando a inflamação atinge mais de 50% dos glomérulos;
    • aguda, com início abrupto e evolução rápida, apresentando sintomas como inchaço, hipertensão, hematúria e proteinúria (presença de sangue e de proteínas, respectivamente, na urina),mas que, se devidamente tratada, pode ser revertida;
    • crônica, quando a doença avança provocando alterações hemodinâmicas (como hipertensão e hiperfiltração glomerulares),fibrose tubulointersticial ou esclerose glomerular, levando à perda crônica e progressiva da função renal.

    Vale destacar a glomerulonefrite primária é o tipo mais comum. Estima-se que, apenas, 1% das crianças com patologias glomerulares e 10% dos adultos apresentam a versão aguda da doença. Nesses casos, os glomérulos são destruídos rapidamente, muitas vezes, desencadeando quadros de insuficiência renal.

    Quais são os sintomas da inflamação do glomérulo?

    A glomerulonefrite de causa primária costuma ser assintomática. Isso faz com que o diagnóstico, assim como o início do tratamento, seja tardio, comprometendo o prognóstico.

    Já na glomerulonefrite de causa secundária, os sintomas variam de acordo com o grau da inflamação. Assim, ela pode desencadear:

    • sintomas urinários, como urina escura, espumosa e com volume reduzido;
    • edema, ou seja, inchaço notável nas pernas e pés, ao redor dos olhos ou no corpo todo;
    • hipertensão arterial, anemia, hematúria e proteinúria;
    • ganho de peso devido ao aumento da retenção de líquidos;
    • perda de apetite, náuseas e vômitos;
    • dor abdominal e dores nas articulações;
    • indisposição, cansaço e fraqueza acentuados e sem motivo aparente.

    Como é o diagnóstico dessa condição?

    O diagnóstico das glomerulopatias tem que ser preciso e precoce. Afinal, determinar a causa da inflamação é essencial para o sucesso do tratamento, bem como para obter um melhor prognóstico.

    Assim, a investigação é realizada com base na avaliação clínica e em exames laboratoriais de sangue e urina, incluindo a dosagem de creatinina e de ureia. Por vezes, pode ser solicitado algum exame de imagem, como uma ultrassonografia ou tomografia computadorizada.

    No entanto, para confirmar o diagnóstico, costuma ser necessário realizar uma biópsia renal. Essa serve, ainda, para determinar a causa, avaliar a quantidade de cicatrização e as chances de reverter o quadro.

    Quais são os tipos de tratamento?

    O tratamento da glomerulonefrite exige a mudança de alguns hábitos, pelo menos, até que a função renal seja restabelecida. Entre eles, recomenda-se:

    • reduzir o consumo de sal;
    • adotar uma dieta pobre em proteínas;
    • uso de diuréticos, para ajudar os rins a excretarem a água e o sódio em excesso;
    • evitar a ingestão de bebidas alcoólicas;
    • controlar rigorosamente a pressão arterial, assim como as taxas de glicemia.

    No que diz respeito à terapêutica, quando a doença apresenta remissão espontânea, ela pode ser limitada à observação do paciente. No entanto, dependendo da gravidade, pode-se recomendar:

    • o uso de medicação, inclusive, para tratar as comorbidades de base;
    • a realização de diálise ou transplante de rim, em caso de insuficiência renal.

    Para concluir, gostaríamos de dizer que a glomerulonefrite pode ser curada. Mas, para isso, é necessário contar com a expertise de um bom nefrologista, o especialista que trata doenças renais agudas e crônicas.

    Portanto, caso apresente sintomas suspeitos e/ou fatores de risco para esse tipo de problema, não demore para procurar ajuda!

    Esperamos que o artigo tenha sido claro. Porém, se ainda restarem dúvidas, sinta-se à vontade para entrar em contato. E para conferir outros conteúdos e dicas de saúde, já sabe: siga a Clinirim no Facebook e Instagram!